Pular para o conteúdo

Fellet com Fritas: Dez Quilômetros do meu Percurso até Aqui

Escrito por


Foto: Dudu Mazzei.

Km 1: Tenho TOC com o status quo: se você encontrou a porta do banheiro fechada, por favor, mantenha-a assim, senão os mosquitos que estavam lá vão sair em êxodo para a sala e perturbar as visitas que passaram perfume e trouxeram bolo de canela de Ibitipoca para me prestigiar.

Km 2: Se a indústria de consumo precisasse de mim para sobreviver, ela morreria de inanição já na primeira infância. Fiz ioga por 15 anos e participei de todas as aulas vestindo a mesma calça. Depois de sete anos, em 2019, tive de comprar um tênis novo. O antigo não resistiu ao politraumatismo de duras caminhadas.

Km 3: Na conta do restaurante, quase pedi desconto por insalubridade. Isso porque o ar-condicionado estava no modo Noruega e o músculo de todos os clientes ficou rígido como o de um morto. Mas aí lembrei que a Xuxa usa refrigeração de frigorífico em casa para suportar o calor do Rio. Sosseguei com o frio sintético.

Km 4: Eu me visto não de acordo com a ocasião, mas conforme meu ânimo. Se estou triste, coloco aquela roupa que por pouco ainda não foi rebaixada a pijama. Se estou feliz, combino peças improváveis e cores não tão afins, porque a felicidade nunca cabe em si e dispensa parâmetros.

Km 5: A amizade é uma lista que se faz a lápis. Porque a gente é altamente mutante e, se o outro estaciona no que éramos e não avança umas casinhas, ganha proporção de maquete na nossa vida.

Km 6: Odiar o outro é uma forma de deixá-lo ganhar a partida.

Km 7: A natureza é uma perfeita linha de montagem, pois produz zebras com semelhante quantidade de listras, bromélias com formato-padrão de folhagem, gatos com o ronronar em um único ritmo.

Km 8: Dois passarinhos voavam em círculo no trecho de céu que acompanhava a extensão da casa. Ali, eles pareciam burlar o roteiro de obrigações do dia e aproveitar um pouco a tecnologia do voo. No mesmo pedaço de céu, um helicóptero também voava em círculo. Mas talvez para cumprir um comando, conseguir uma média e se habilitar para voar sinteticamente vida afora.

Km 9: Faço tanto cover debaixo do chuveiro que, na próxima conta da Cesama, vai vir discriminada a taxa da Whitney Houston anfíbia.

Km 10: Brownie é receita que não deu certo. Chantilly também. Em um conto da Clarice, ela descreve uma ruiva como excesso da natureza… Está aí Marina Ruy Barbosa para provar que as exceções podem superar os padrões. Somos todos ímpares, exclusivos, originais, extraordinários.

 

Por: Carolina Fellet