Pular para o conteúdo

Empoderamento feminino: vamos lá?


Ser quem quiser ser; fazer o que quiser fazer. Essa é uma das premissas em que acreditamos hoje ao se falar de empoderamento feminino. Falamos com certa frequência em nossos eventos e consultorias: “Você não tem que nada”. A imposição é sempre a maior inimiga do caminho do empoderamento, que é justamente o ato de tomar poder sobre si.

Quer ser funcionária de uma empresa? Ótimo. Sonha em empreender? Bora! Sua opção é se dedicar à família? Excelente. Quer tentar conciliar tudo? Vai em frente. O que não cabe mais é viver de acordo com a decisão que outra pessoa fez para você ou seguir cegamente as cobranças que a sociedade nos coloca. Os dedos sempre serão apontados, sim. A diferença agora vai ser como você vai lidar com isso.

Sabe essa Mulher Maravilha? Então, ela não precisa existir. É um peso enorme carregar a responsabilidade de ser perfeita. Ser a melhor profissional, a melhor dona de casa, a melhor companheira, a melhor mãe, a melhor filha, a melhor amiga, a melhor voluntária, a melhor, a melhor, a melhor. E ainda cuidar de si – ah, é, é bom cuidar de si.

A vida é feita de escolhas. Das suas, só você detém o poder. “Se não estabelecermos prioridades, alguém fará isso por nós” (do livro Essencialismo). Ou seja, se não escolhermos o que queremos ser e o que queremos fazer, seremos empurradas pelas decisões alheias, pelos pedidos, pelas chantagens – e aí, quando olharmos, o tempo já passou e nos vemos no meio de um furacão onde a paz e a real felicidade passam longe. Autoconhecimento, escolhas e determinação são fundamentais para o empoderamento!

E vamos para a ação!

Nossa jornada como mulher no mercado de trabalho, por exemplo, não é nada fácil, sabemos disso. De assédio à falta de credibilidade, do sermos interrompidas em falas, entre vários pontos (cegos, muitas vezes) que dão longas horas de debate, matamos um leão por dia. A sorte é que hoje já existem iniciativas, projetos, organizações e empresas pensando e agindo pelo empoderamento feminino. É importante que as próprias mulheres conheçam esses espaços de reflexão, de fala, e se sintam mais fortes e representadas.

Primeiro, queremos te contar o que é sororidade, que é um novo jeito de olhar outras mulheres. É uma aliança feminina, uma união que se contrapõe à rivalidade entre mulheres que vemos tanto por aí. É desenvolver, na prática, o respeito por cada mulher, pelas escolhas de cada uma e apoiá-las para terem uma vida melhor.

E, pensando nesses ambientes de trabalho desafiadores (seja como funcionária ou dona do próprio negócio), te apresentamos também os princípios de empoderamento das mulheres, orientações da ONU Mulheres e do Pacto Global das Nações Unidas para que avancemos nesse cenário. São 150 empresas no Brasil que já assinaram esse compromisso.

 

Princípios de Empoderamento das Mulheres

  1. Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de gênero, no mais alto nível.
  2. Tratar todas as mulheres e homens de forma justa no trabalho, respeitando e apoiando os direitos humanos e a não-discriminação.
  3. Garantir a saúde, segurança e bem-estar de todas as mulheres e homens que trabalham na empresa.
  4. Promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres.
  5. Apoiar empreendedorismo de mulheres e promover políticas de empoderamento das mulheres através das cadeias de suprimentos e marketing.
  6. Promover a igualdade de gênero através de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social.
  7. Medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gênero.

 

Empodere-se! Busque novos conhecimentos, oportunidades e pessoas que te ajudem a realizar suas vontades de ser e fazer o que faz sentido para você! Com a gente, você sempre pode contar. Fica o convite para nosso Encontro das Empreendedoras de 20 de março, para que você se inspire e pratique a Sororidade: bit.ly/eejf03.

Por: Flávia Cadinelli e Priscila Pinheiro

Sócias-diretoras da Consultoria para Mulheres.